Polineuropatia amiloidótica familiar (PAF) tipo I e os probands de “novas” famílias: a propósito de um caso clínico

Autores

  • J. P. Vieira de Andrade Serviço de Medicina III do Hospital Distrital de Santarém
  • A. M. Gameiro Serviço de Medicina III do Hospital Distrital de Santarém
  • R. Paulos Serviço de Medicina III do Hospital Distrital de Santarém
  • I. Câmara Serviço de Medicina III do Hospital Distrital de Santarém
  • M. Cabrita Serviço de Medicina III do Hospital Distrital de Santarém

Palavras-chave:

proband, casos esporádicos, novas famílias, transtirretina

Resumo

A polineuropatia amiloidótica familiar (PAF) tipo I é uma doença
neurodegenerativa autossómica dominante progressiva, caracterizada pela deposição extracelular de fibras de amilóide,
no tecido conjuntivo, com excepção do cérebro e parênquima
hepático, afectando particularmente o sistema nervoso periférico.
A existência de PAF tipo I está relacionada com a substituição
do aminoácido original valina por metionina na posição 30 do
gene da transtirretina (TTR V30M). Têm sido descritos casos
esporádicos de PAF TTR V30M em todos os focos desta doença.
A existência destes casos, suscitam algumas questões interessantes, nomeadamente o modo de hereditariedade e a hipótese
de modificadores genéticos.
Os autores apresentam um caso de PAF TTR V30M, cujos ascendentes e colaterais não são afectados pela doença e revêem
a propósito a epidemiologia genética da PAF tipo I.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

http://medicina.med.up.pt

Lobato L. Classification of Amyloidoses. Sinapse 2006; 6 (suppl 1): 68-73.

Cooutinho CA. Cardiac Involvement in Familial amyloidotic Polyneuropathy. Sinapse 2006; 6 (suppl 1): 82-98.

Sousa A. Genetic Epidemiology of Familial Amyloid Polyneuropathy. Sinapse 2006; 6 (suppl 1): 74-79.

Coelho T, Sousa A, Lourenço E, Ramalheira J. A study of 159 Portuguese patients with familial amyloidotic polyneuropathy (FAP) whose parents were both unaffected. J Med Genet 1994; 31: 293-299.

Santos M, Dias L, Esperança P. Importância de la TTR met 30 en el diagnóstico de la polineuropatía amiloidótica familiar sin antecedentes familiares. Rev NEUROL 2000; 30 (10): 929-931.

Saraiva M M. Digestive Manifestations of Familial Amyloidotic Neuropathy. Sinapse 2006; 6 (suppl 1): 110-120.

Coelho T. The Clinical Diagnosis in Familial Amyloidotic Polyneuropathy. Sinapse 2006; 6 (suppl 1): 134-138.

Soriano-Soriano C, Tornero-Esténbanes C, Navarrro-Fernández C, Jiménez-Escrich A, Díaz-Insa S, Rull-Degura S. Polineuropatía amiloidótica familiar: dos nuevos casos de presentation tardía, con numerosos familiares portadores asintomáticos. REV NEUROL 2001; 33 (5): 494-495.

Yoshinaga T, Nakazato M, Ikeda S, Ohnishi A. Homozygosity for the transthyretin Met 30 gene in three Japanese siblings with type I gamilial amyloidotic polyneuropathy. Neurology 1992; 42: 2045-2047.

Ikeda S, Nakano T, Yanagisawa N, Nakazato M, Tsukagoshi H. Asymptomatic homozygous gene carrier in a family with type I familial amyloidotic polyneuropathy. Eur Neurol 1992; 32:308-313.

Guevera C O, Barrientos N U, Flores A R, Iduáques J C. Familial amyloidotic polyneuropathy type I. Report of one case. Rev Méd Chile 2003;

:1179-1182

Ficheiros Adicionais

Publicado

30-11-2022

Como Citar

1.
Vieira de Andrade JP, Gameiro AM, Paulos R, Câmara I, Cabrita M. Polineuropatia amiloidótica familiar (PAF) tipo I e os probands de “novas” famílias: a propósito de um caso clínico. RPMI [Internet]. 30 de Novembro de 2022 [citado 25 de Junho de 2024];18(3):159-63. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/1328

Edição

Secção

Casos Clínicos