Simplificação Terapêutica em Idosos Internados numa Enfermaria de Medicina Interna: Aplicação dos Critérios STOPP/START

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24950/O/290/19/2/2020

Palavras-chave:

Efeitos Colaterais e Reações Adversas Relacionados a Medicamentos, Idoso, Hospitalização, Polifarmácia, Prescrição Inadequada

Resumo

Introdução: A polifarmácia e a medicação inadequada são prevalentes e contribuem para eventos adversos na população idosa. Os critérios STOPP/START são uma ferramenta que tem como objetivo contribuir para a maior adequação medicamentosa neste grupo da população.
O objetivo foi avaliar o impacto da aplicação dos critérios STOPP/START versão 2 à medicação de uma população idosa hospitalizada.

Métodos: Estudo prospetivo realizado numa enfermaria de medicina interna de um hospital terciário. Doentes internados com mais de 65 anos e medicados habitualmente com 5 ou mais medicamentos foram aleatorizados para receber cuidados médicos e farmacêuticos habituais (controlo) ou para o envio de uma recomendação à sua equipa clínica assistente, nas primeiras 72 horas de internamento, indicando medicações potencialmente inapropriadas (MPI) e medicações potencialmente omissas (MPO), como resultado da aplicação dos critérios STOPP/START versão 2 (intervenção). Análise estatística realizada com o SPSS versão 23, considerando um p < 0,05.

Resultados: Incluídos 156 pacientes e analisados 64 na intervenção e 62 no controlo. Redução média de MPI e MPO de 49% e 31% no braço da intervenção versus 13% e 0% no controlo (p = 0,01). Aceitação média de 63% das recomendações pelos critérios STOPP e de 40% pelos START. Prevalência de polifarmácia na população total de 21% e de prescrição inadequada (pelo menos um MPI) de 75%. Identificados, no total, 230 MPI e 152 MPO.

Conclusão: Reportada uma alta prevalência de poli- farmácia e prescrição inadequada numa população idosa internada num serviço de medicina interna, tendo esta última sido significativamente diminuída pela aplicação dos critérios STOPP/START versão 2 durante as primeiras 72 horas de admissão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Motter FR, Fritzen JS, Hilmer SN, Paniz ÉV, Maria V, Paniz V. Potentially inappropriate medication in the elderly : a systematic review of validated explicit criteria. Eur J Clin Pharmacol. 2018;74:679-700. doi: 10.1007/ s00228-018-2446-0.

Payne RA. The epidemiology of polypharmacy. Clin Med. 2016;16:465- 9. doi: 10.7861/clinmedicine.16-5-465.

Scott I a, Gray LC, Martin JH, Pillans PI, Mitchell C. Deciding when to stop: towards evidence-based deprescribing of drugs in older popula- tions. Evid Based Med. 2013;18:121–4.

Scott IA, Hilmer SN, Reeve E, Potter K, Le Couteur D, Rigby D, et al. Reducing inappropriate polypharmacy. JAMA Intern Med. 2015;175:827- 34. doi: 10.1001/jamainternmed.2015.0324.

Reeve E, Shakib S, Hendrix I, Roberts MS, Wiese MD. The benefits and harms of deprescribing. Med J Aust. 2014;201:386–9.

Rankin A, Ca C, Sm P, Kerse N, Cr C, Mc B, et al. Interventions to improve the appropriate use of polypharmacy for older people. Cochra- ne Database Syst Rev. 2018;9:CD008165. doi: 10.1002/14651858. CD008165.pub4.

Hill-Taylor B, Sketris I, Hayden J, Byrne S, O’Sullivan D, Christie R. Application of the STOPP/START criteria: A systematic review of the prevalence of potentially inappropriate prescribing in older adults, and evidence of clinical, humanistic and economic impact. J Clin Pharm Ther. 2013;38:360–72.

O’Mahony D, O’Sullivan D, Byrne S, O’Connor MN, Ryan C, Gallagher P. STOPP/START criteria for potentially inappropriate prescribing in older people: version 2. Age Ageing. 2014;44:1–6.

Guthrie B, Makubate B, Hernandez-santiago V, Dreischulte T. The rising tide of polypharmacy and drug-drug interactions : population database analysis 1995 – 2010. BMC Med. 2015;1–10.

Kantor ED, Rehm CD, Haas JS, Chan AT, Giovannucci EL, Sloan M, et al. Trends in Prescription Drug Use among Adults in the United States from 1999-2012. JAMA. 2016 ;314:1818-31. doi: 10.1001/jama.2015.13766.

Kim H, Shin J, Kim M, Park B. Prevalence and Predictors of Polypharmacy among Korean Elderly. PLoS One. 2014;9:e98043. doi: 10.1371/ journal.pone.0098043.

Dong L, Yan H, Wang D. Polypharmacy and its correlates in village health clinics across 10 provinces of Western China. J Epidemiol Community Health. 2010;549–53.

Passos LC. Factors associated with potentially inappropriate medication use by the elderly in the Brazilian primary care setting. Int J Clin Pharm. 2012;626–32.

Hovstadius B, Hovstadius K, Åstrand B, Petersson G. Increasing polypharmacy - an individual-based study of the Swedish population 2005-2008. BMC Clin Pharmacol. 2010; 10:16. doi: 10.1186/1472- 6904-10-16.

Malva J, Llimos-Fernandez F. Case Study Summary Portugal. SIMPATHY 2019 [accessed Dec 2019]. Disponível em http://www.simpathy.eu/re- sources/case-studies/case-study-portugal

Stewart D, Mair A, Wilson M, Kardas P, Alonso A, Mcintosh J, et al. Guidance to manage inappropriate polypharmacy in older people : systematic review and future developments. Expert Opin Drug Saf. 2017;16:203-13. doi: 10.1080/14740338.2017.1265503.

Scott IA, Hilmer SN, Reeve E, Potter K, Le Couteur D, Rigby D, et al. Reducing inappropriate polypharmacy: the process of deprescribing. JAMA Intern Med. 2015;175:827-34. doi: 10.1001/jamainternmed.2015.0324.

Wilson M, Mair A, Dreischulte T, Witham M. Prescribing to fit the needs of older people - the NHS Scotland Polypharmacy Guidance, 2nd edition. J R Coll Physicians Edinb. 2015;108–13.

Thomas RE, Thomas BC. A Systematic Review of Studies of the STOPP / START 2015 and American Geriatric Society Beers 2015 Criteria in Pa- tients ≥ 65 Years. Curr Aging Sci. 2019;12:121-54. doi: 10.2174/18746 09812666190516093742.

Gallagher PF, O’Connor MN, O’Mahony D. Prevention of potentially ina- ppropriate prescribing for elderly patients: a randomized controlled trial using STOPP/START criteria. Clin Pharmacol Ther. 2011;89:845–54. doi: 10.1038/clpt.2011.44.

Direção-Geral da Saúde. Norma de Orientação Clínica No 004/2019. Prevenção e Tratamento da Deficiência de Vitamina D. Lisboa: DGS; 2019.

Downloads

Publicado

05-12-2021

Como Citar

1.
Oliva Teles M, R. Fonseca M, Gomes Parola A. Simplificação Terapêutica em Idosos Internados numa Enfermaria de Medicina Interna: Aplicação dos Critérios STOPP/START. RPMI [Internet]. 5 de Dezembro de 2021 [citado 13 de Agosto de 2022];27(2):145-54. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/158

Edição

Secção

Artigos Originais