Hepatite auto-imune – a propósito de três casos

Autores

  • María M. Mendes Médica do Internato Complementar de Medicina Interna, Serviço de Medicina II dos Hospitais da Universidade de Coimbra
  • Bernardino Ribeiro Médico do Internato Complementar de Gastrenterologia, Serviço de Medicina II dos Hospitais da Universidade de Coimbra
  • Maria A. Cipriano Assistente Hospitalar Graduada de Anatomia Patológica, Serviço de Medicina II, Hospitais da Universidade de Coimbra
  • Maria J. Nabais Assistente Hospitalar de Medicina Interna, Serviço de Medicina II dos Hospitais da Universidade de Coimbra
  • Mário B. Alexandrino Chefe de Serviço de Medicina Interna, Serviço de Medicina II, Hospitais da Universidade de Coimbra
  • Júlio J. Moura Professor da Faculdade de Medicina de Coimbra e Director do Serviço de Medicina II dos Hospitais da Universidade de Coimbra

Palavras-chave:

hepatite auto-imune, hiper-gamaglobulinemia, hipertransaminasemia, imunossupressão

Resumo

Como já é bem conhecido, a hepatite auto-imune (HAI), constitui uma forma de doença hepática
inflamatória crónica, com predomínio do sexo feminino (4:1), hipergamaglobulinemia, autoanticorpos
circulantes, boa resposta à imunossupressão, possível coexistência com outras doenças auto-imunes e prevalência aumentada nos
portadores dos alelos DR3 ou DR4 do HLA.
Descrevemos e comentamos três casos clínicos de HAI, dois do sexo masculino (caso 1: RAAOE, 23
anos e caso 2: PFSC, 30 anos) e outro no sexo feminino (caso 3: MANL, 61 anos), diagnosticados
no nosso Serviço em 1999. Dois dos doentes estavam muito pouco sintomáticos e o terceiro terá tido
previamente uma “remissão” espontânea. Apresentavam valores de alanino aminotransferase (ALT),
entre 12 e 50 vezes o limite superior da normalidade.
Os três doentes tinham uma imunoglobulina G (IgG) elevada e positividade para auto-anticorpos.
No caso 1, trata-se de doença com alguns anos de evolução, mas com menor gravidade analítica e
histológica. Os casos 2 e 3 correspondem a formas graves de HAI, apresentando um deles uma
histologia controversa e outro uma forma mais típica.
Após o diagnóstico, iniciaram tratamento com corticóides e, posteriormente, azatioprina, com boa
resposta terapêutica, e continuando em remissão.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Valente AI, Almeida A, Gouveia A et al. Prevalência Doença Hepática Crónica em Portugal. Acta Médica Portuguesa 1996; 9:197-202.

Daniel SP, Marshall MK. Evaluation of abnormal liver-enzyme results in asymptomatic patients. N Engl J Med 2000; 342: 1266-1271.

Czaja AJ. Autoimmune hepatitis. Cap 75. In : Feldman M, Scharschmidt BF, Sleisenger MH (eds): Gastrointestinal and Liver Disease, 6th ed. Philadelphia: Saunders 1999.

Manns MP. Autoimmune hepatitis. In: Bruce R Bacon, Adrian M. Di Bisceglie. Liver disease: Diagnosis and Management. Philadelphia: Churchill Livingstone 2000: 107-118.

Johnson PJ, MacFarlane IG, Alvarez F et al. Meeting Report : International Autoimmune Hepatitis Group. Hepatology 1993 Oct 18: 998-1005.

Czaja AJ. Drug therapy in the management of type 1 autoimmune hepatitis. Drugs 1999 Jan; 57(1): 49-68.

Alvarez F, Berg PA, Bianchi FB et al. International autoimmune hepatitis group report : review of criteria for diagnosis of autoimmune hepatitis. J Hepatol 1999;31: 929-938.

Ignacio Aiza, Eugene R Schiff. Autoimmune hepatitis. Curr Opin. Gastroenterol 1995, 11:238-244.

Czaja AJ. The variant forms of autoimmune hepatitis. An Intern Med 1996; 125: 588-598.

Kamiyama T, Nouchi T, Kojima S et al. Autoimmune hepatitis triggered by administration of an herbal medicine. Am J Gastroenterol 1997; 92: 703-704.

Johnson PJ, McFarlane IG, Williams R. Azathioprine for long-term maintenance of remission in autoimmune hepatitis. N Engl J Med 1995; 333: 958-963.

Jonhson PJ. Treatment of autoimmune hepatitis. Gut 1997 Jul; 41(1):3-4.

McNair ANB, Moloney M, Portmann BC, Williams R, McFarlane IG. Autoimmune hepatitis overlapping with primary sclerosing cholangitis in five cases. Am J Gastroenterol 1998 ;93: 777-784.

Lau JYN, Koukoulis G,Mieli-Vergani G et al. Syncitial giant cell hepatitis – a specific disease entity. J. Hepatology 1992 ;15: 216-219.

Te HS, Koukoulis G, Granger DR. Autoimmune hepatitis: a histologic variant associated with prominent centrilobular necrosis. Gut 1997 ;41: 269-271.

Ficheiros Adicionais

Publicado

28-06-2002

Como Citar

1.
Mendes MM, Ribeiro B, Cipriano MA, Nabais MJ, Alexandrino MB, Moura JJ. Hepatite auto-imune – a propósito de três casos. RPMI [Internet]. 28 de Junho de 2002 [citado 19 de Junho de 2024];9(2):92-8. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/1937

Edição

Secção

Casos Clínicos