Consulta Telefónica em Contexto Pandémico: Avaliação da Satisfação dos Doentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24950/O/72/21/3/2021

Palavras-chave:

Consulta Remota, COVID-19, Medicina Interna, Satisfação do Doente, Telefone, Telemedicina

Resumo

Introdução: A doença por coronavírus 2019 (COVID-19) aumentou a pressão assistencial sobre os hospitais. Para contenção da transmissão foram adotadas medidas alternativas de prestação de cuidados às doenças crónicas nomeadamente através do recurso à Telemedicina. A satisfação dos doentes face aos cuidados recebidos associa-se a um melhor prognóstico. Com este estudo pretende-se avaliar a satisfação com os cuidados prestados na consulta telefónica de Medicina Interna.

Material e Métodos: Após revisão bibliográfica foi criado um questionário para avaliação da satisfação dos doentes com a consulta telefónica. Foram incluídos todos os doentes que tiveram consulta telefónica de Medicina Interna em Setembro de 2020. O questionário foi aplicado ao próprio doente ou familiar.

Resultados: O questionário foi realizado a 81 doentes com idade média de 67,9 anos e predomínio do género masculino (53,1%). O questionário foi respondido pelo próprio doente em 71,6% dos casos. Setenta doentes (86,5%) concordam/ concordam totalmente que a consulta telefónica permitiu ter os cuidados de saúde que necessitavam e 88,8% concorda/ concorda totalmente que é uma forma aceitável de receber cuidados de saúde. A maioria (74,1%) revelou estar satisfeita com a consulta telefónica.

Discussão e Conclusão: Apresentamos um novo questionário de satisfação que revelou ter uma boa fiabilidade podendo ser uma importante ferramenta para o futuro. Em geral os doentes atribuíram altos scores totais de satisfação à consulta telefónica, traduzindo-se na sua aceitação como forma alternativa de receber cuidados de saúde. A implementação da Telemedicina durante a atual pandemia permite manter os cuidados de saúde revelando-se uma estratégia promissora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Who.int [homepage na Internet]: Coronavirus disease 2019 (COVID-19) Situation Report – 51;2020 [consultado 2 Jan 2021]. Disponível em: https://www.who.int/docs/default-source/coronaviruse/situation-reports/20200311-sitrep-51-covid-19.pdf?sfvrsn=1ba62e57_10

Hau Y, Kim J, Hur J, Chang M. How about actively using telemedicine during the COVID-19 pandemic? J Med Syst. 2020;44:107-108. doi: 10.1007/s10916-020-01580-z.

Mann D, Chen J, Chunara R, Testa P. COVID-19 transforms health care through telemedicine: evidence from the field. JAMIA Open. 2020;27: 1132–5. doi: 10.1093/jamia/ocaa072.

Nguyen M, Waller M, Pandya A, Portnoy J. A Review of Patient and Provider Satisfaction with Telemedicine. Curr Allergy Asthma Rep. 2020;20:72. doi: 10.1007/s11882-020-00969-7.

Holtz B. Patients Perceptions of Telemedicine Visits Before and After the Coronavirus Disease 2019 Pandemic. Telemed JE Health. 2021;27:107-12. doi: 10.1089/tmj.2020.0168.

Rajasekaran K. Access to Telemedicine—Are We Doing All That We Can during the COVID-19 Pandemic? OTO Open. 2020;163:104-06. doi: 10.1177/0194599820925049.

Santos M. Medicina Interna e Desafio Tecnológico em Saúde. Rev Soc Port Med Interna. 2020;27:108-09. doi: 10.24950/Editorial/2/2020.

Ramaswamy A, Yu M, Drangsholt S, Ng E, Culligan P, Schlegel P et al. Patient Satisfaction With Telemedicine During the COVID-19 Pandemic: Retrospective Cohort Study. J Med Internet Res. 2020;22:e20786 doi: 10.2196/20786.

Olayiwola N, Magaña C, Harmon A, Nair S, Esposito E, Harsh C et al. Telehealth as a Bright Spot of the COVID-19 Pandemic: Recommendations From the Virtual Frontlines (´Frontweb´). JMIR Public Health Surveill. 2020;6:e19045. doi:10.2196/19045.

Vidal-Alaball J, Acosta-Rojac R, Hernández P, Luquee U, Morrisone D, Pérez S et al. Telemedicine in the face of the COVID-19 pandemic. Aten Primaria. 2020;52:418-22. doi: 10.1016/j.aprim.2020.04.003.

Narasimha S, Madathil K, Agnisarman S, Rogers H, Welch B, Ashok A et al. Designing Telemedicine Systems for Geriatric Patients: A Review of the Usability Studies. Telemed JE Health. 2017;23:1-14. doi: 10.1089/tmj.2016.0178.

Ferreira D. Papel da Telesaúde em Tempos de Pandemia COVID-19: Para Grandes Males, Grandes Remédios. Rev Soc Port Med Interna. 2020;27:1-5. doi: 10.24950/rspmi/COVID19/D.Ferreira/LuzLisboa/S/2020.

Botrugno C, Zózimo J. A difusão da telemedicina em Portugal: Dos benefícios prometidos aos riscos de um sistema de cuidados a duas velocidades. Sociologia. 2020;93:89-107. doi: 10.7458/SPP20209312257.

Chaet D, Clearfield R, Sabin J, Skimming K. Ethical practice in Telehealth and Telemedicine. J Gen Intern Med. 2017;32: 1136–40. doi: 0.1007/s11606-017-4082-2.

Almathami H, Win K, Vlahu-Gjorgievska E. Barriers and Facilitators That Influence Telemedicine-Based, Real-Time, Online Consultation at Patients’ Homes: Systematic Literature. J Med Internet Res. 2020;22: e16407. doi:10.2196/16407.

Perrone G, Zerbo S, Bilotta C, Malta G, Argo A. Telemedicine during Covid-19 pandemic: Advantage or critical issue? Med Leg J. 2020;88:76-7. doi: 10.1177/0025817220926926.

Le L, Rahal H, Viramontes M, Meneses K, Dong T, Saab S. Patient Satisfaction and Healthcare Utilization Using Telemedicine in Liver Transplant Recipients. Dig Dis Sci. 2019;64: 1150–7. doi: 10.1007/s10620-018-5397-5.

Fleischhacker, C. Patient Satisfaction with Telehealth Services Compared to In- Office Visits: A Systematic Literature Review [dissertação]. Mankaro: Minnesota State University; 2020.

Waller M, Stotler C. Telemedicine: a Primer. Curr Allergy Asthma Rep. 2018;18:54. doi: 10.1007/s11882-018-0808-4.

Spms.min-saude.pt [homepage na Internet]: Plano Estratégico Nacional para a Telessaúde 2019-22; 2019 [consultado 30 Mar 2021]. Disponível em: https://www.spms.min-saude.pt/wp-content/uploads/2019/11/PENTS_portugu%C3%AAs.pdf

Reboiro M, González C, Castro-Conde B, Castro J. Telemedicine Yes, But No Telepathy. Acta Med Port. 2020;33:622-632. doi: 10.20344/amp.14259

Marshall G, Hays R. The Patient Satisfaction Questionnair Short-Form (PSQ-18). RAND Coorporation Document; 1994 [consultado 2020 Nov 23]. Disponível em https://www.rand.org/content/dam/rand/pubs/papers/2006/P7865.pdf

Morgan D, Kosteniuk J, Stewart N, O’Connell M, Karunanyake C, Beever R. The Telehealth Satisfaction Scale (TeSS): Reliability, validity, and satisfaction with telehealth in a rural memory clinic population. Telemed J E Health. 2014;20:997-1003. doi: 10.1089/tmj.2014.0002.

Parmanto B, Lewis A, Graham K, Bertolet M. Development of the Telehealth Usability Questionnaire (TUQ). Int J Telerehabil. 2016;8:3-10. doi:10.5195/ijt.2016.6196.

Yip M, Chang A, Chan J, Mackenzie A. Development of the Telemedicine Satisfaction Questionnaire to evaluate patient satisfaction with telemedicine: a preliminary study. J Telemed Telecare. 2003;9:46-50. doi: 10.1258/135763303321159693.

Direção Geral da Saúde. Dgs.pt [homepage na Internet]: Relatórios de situação epidemiológica em Portugal;2020 [consultado 2 Jan 2021]. Disponível em: https://covid19.min-saude.pt/relatorio-de-situacao/.

Downloads

Publicado

27-10-2021

Como Citar

1.
Abecasis F, S. B. Sequeira M, Pestana Santos C, Cruz D, Pintassilgo I, Santos H. Consulta Telefónica em Contexto Pandémico: Avaliação da Satisfação dos Doentes. RPMI [Internet]. 27 de Outubro de 2021 [citado 13 de Agosto de 2022];28(3):250-6. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/145

Edição

Secção

Artigos Originais