Estado confusional agudo nas unidades de cuidados intensivos

Autores

  • Luís Santos Interno do Internato Complementar de Neurologia do Hospital de Egas Moniz, Lisboa
  • João Alcântara Assistente Hospitalar Graduado de Neurologia do Hospital de S. José, Lisboa

Palavras-chave:

estado confusional agudo, U.CI., haloperidol, benzodiazepinas

Resumo

As alterações de comportamento frequentemen­te observadas em doentes internados nas unida­des de cuidados intensivos (UCI), podem ser ade­quadamente designadas, na maioria das vezes, por estado confusional agudo, o qual se caracte­riza por: flutuação do estado de vigília, distúr­bio do ciclo vigília-sono, défice de atenção e con­centração, desorganização do pensamento, ma­nifestado entre outras formas por discurso in­coerente, distúrbios da percepção sob a forma de ilusões e/ou alucinações, desorientação no tempo e no espaço, agitação ou diminuição da actividade psicomotora e perturbação da memó­ria.

O estado confusional agudo nas UCI resulta, geralmente, das seguintes situações: doenças e distúrbios metabólicos/sistémicos, tais como a sepsis, a insuficiência renal e a insuficiência he­pática; exposição a agentes tóxicos exógenos, tais como medicamentos; privação de substân­cias de abuso, como o álcool; e doenças primari­ amente intracranianas, tais como infecções do sistema nervoso central. Frequentemente, coexis­tem outras causas, sendo as principais: a priva­ção de sono, os défices cognitivos prévios, o medo e a ansiedade, bem como, em certos casos, o tipo de personalidade do doente.

O tratamento compreende a correcção dos dis­túrbios metabólicos/sistémicos; a suspensão de tóxicos e/ou o uso de antídotos; o tratamento da privação; o uso de haloperidol com ou sem ben­zodiazepinas; e medidas não farmacológicas que diminuam o stress ambiental e promovam o bem­ estar físico e mental

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

McCartney JR, Boland RJ, Anxiety and Delirium in the lntensive Care Unit. Critical Care Clinics 1994; 10: 673-680

Cassem N H Hackett T P. The Setting of lntensive Care - in Hand­ book of General Hospital Psychiatry - 3nd Edition, Ed.: Ned

H. Cassem, 1991.

Fontaine DK. Nonpharmacologic management of patient distress during mechanical ventilation. Critical Care Clinics 1994; 10:695-708.

Pritchard MJ. Psychiatric problems associated with Intensive Care. - in Care of the Critically III Patient - Ed.: Tinker et al, 1991.

Schwab RJ. Disturbances of sleep in the lntensive care Unit. Criti­cal Care Clinics, 1994; 10:681-694.

Crippen DW. Pharmacologic treatment of Brain Failure and Deli­rium. Critical Care Clinics 1994; 10: 733-766.

Me Cartney JR, Boland RJ. Understanding and managing behavi­oral disturbances in the ICU. The Journal of Critical Illness 1993; 8: 87-97.

Tesar GE, Stern TA. The diagnosis and treatment of Agitation and Delirium in the ICU patient. Intensive Care Medicine, 2nd Edition, Ed.; Rippe et ai, 1991.

Wool C, Geringer E S, Stern TA. The management of behavioral problems in the ICU. in lntensive Care Medicine, 2nd Edition, Ed.: Rippe et al, 1991.

Murray G B. Confusion, Delirium and Dementia - in Handbook of General Hospital Psychiatry - 3rd Edition, Ed.: Ned.: Ned

H. Cassem, 1991.

Murray G B. Limbic Music. in Handbook of General Hospital Psychiatry - 3rd Edition, Ed.: Ned H. Cassem, 1991.

Adams R D. Victor M. Delirium and other acure confusional sta­tes, in Principies of Neurology, 4th Edition, 1989.

Mendez. M F. Acute confusional states in Neurology in Clinical Practice, Ed.: Bradley et al. 1991.

Lipowski ZJ. - Delirium in the elderly patient. New Engl J Med 1989; 320: 578.

Levine R L. Pharmacology of intravenous sedatives and opioids in critically ill patients 1994; 10: 709-731.

Geringer E S, Stern TA. Recognition and treatment of Depressi­on in the ICU. Intensive Care Medicine, 2nd Edition, Ed.: Ri­ppe et al 1991.

Pollack M H, Stern TA. Recognition and treatment of anxiety in the ICU patient in Intensive Care Medicine, 2nd Edition, Ed.: Rippe et al, 1991.

Stevens D S. Edwards T. Management of pain in mechanically ventilated patients. Critical Care Clinics. 1994; 10: 767-772.

Ficheiros Adicionais

Publicado

28-06-1996

Como Citar

1.
Santos L, Alcântara J. Estado confusional agudo nas unidades de cuidados intensivos. RPMI [Internet]. 28 de Junho de 1996 [citado 18 de Julho de 2024];3(2):103-11. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/2275

Edição

Secção

Artigos de Revisão

Artigos Similares

Também poderá iniciar uma pesquisa avançada de similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)