Síndroma do choque tóxico: uma entidade subdiagnosticada – a propósito de um caso clínico

Autores

  • Cristiana Sousa Serviço de Medicina Interna, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto
  • Carla Teixeira Serviço de Medicina Interna, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto
  • Vasco Dias Serviço de Medicina Interna, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto
  • Fernanda Almeida Serviço de Medicina Interna, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto
  • Fátima Farinha Serviço de Medicina Interna, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto

Palavras-chave:

Síndrome do Choque Tóxico, Resposta inflamatória sistémica, Falência multi-ôrganica

Resumo

A Síndroma do Choque Tóxico (SCT) estafilocócico é uma entidade
rara, potencialmente fatal, e frequentemente subdiagnosticada
por as manifestações clínicas iniciais serem inespecíficas. A
evolução para choque séptico, devido à exuberante resposta
inflamatória sistémica às toxinas produzidas pelas bactérias, é
rápida e se o tratamento dirigido não for iniciado nas primeiras
horas, o resultado final pode ser catastrófico em consequência
de falência multi-orgânica.
Os autores apresentam o caso de uma jovem, previamente
saudável, com quadro clínico compatível com SCT em contexto
de infecção por Staphylococcus aureus, com envolvimento
multi-orgânico, que teve evolução clínica favorável sob tratamento
dirigido.
Este caso mostra a elevada morbilidade associada a esta síndroma; contudo o sucesso só foi possível com a monitorização
adequada e a intervenção terapêutica precoce e agressiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Todd J. Toxic shock syndrome. Clin Microbiol Rev 1988; 1: 432-446.

Todd J, Fishaut M, Kapral F, Welch T. Toxic shock syndrome associated with phage-group-I staphylococci. Lancet 1978; ii: 1116-1118.

Davis JP, Chesney PJ, Wand PJ, Laventure M. Toxic-shock syndrome: epidemiologic features, recurrence, risk factors, and prevention. N Engl J Med 1980; 303: 1429-1435.

Shands KN, Schmid GP, Dan BB et al. Toxic shock syndrome in menstruating women: association with tampon use and Staphylococcus aureus and clinical features in 52 cases. N Engl J Med 1980; 303: 1436-1442.

Reingold AL, Dan BB, Shands KN, Broome CV. Toxic-shock syndrome not associated with menstruation. A review of 54 cases. Lancet 1982; i: 1-4.

Reingold AL, Hargrett NT, Dan BB, Shands KN, Strickland BY, Broome CV. Nonmenstrual toxic shock syndrome: a review of 130 cases. Ann Intern Med 1982; 96: 871-874.

Morrison VA, Oldfield EC. Postoperative toxic shock syndrome. Arch Surg. 1983; 118: 791-794.

Fischer M, Bhatnagar J, Guarner J, Reagan S, Hacker JK. Fatal Toxic Shock Syndrome Associated with Clostridium sordellii after Medical Abortion. N Engl J Med; 2005. 353:2352-2360.

Habif TP. Exanthems and Drug Eruptions. In: Habif TP, ed. Clinical Dermatology. 5th ed. Philadelphia, Pa: Mosby Elsevier; 2009: chapter 14: 544-580.

Chesney PJ, Davis JP, Purdy WK, Wand PJ, Chesney R W. Clinical manifestations of toxic shock syndrome. J. Am. Med. Assoc. 1981. 246:741-748.

Wiesenthal A M, Ressman M, Caston S A, Todd J K. Toxic shock Syndrome. I. Clinical exclusion of other syndromes by strict and screening definitions. Am. J. Epidemiol. 1985. 122:847-856.

Ficheiros Adicionais

Publicado

29-06-2012

Como Citar

1.
Sousa C, Teixeira C, Dias V, Almeida F, Farinha F. Síndroma do choque tóxico: uma entidade subdiagnosticada – a propósito de um caso clínico. RPMI [Internet]. 29 de Junho de 2012 [citado 13 de Junho de 2024];19(2):87-90. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/1145

Edição

Secção

Casos Clínicos

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)