Estado Nutricional como Factor de Risco numa Coorte de Pacientes Geriátricos numa Unidade de Convalescença Especializada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24950/O/19/20/3/2020

Palavras-chave:

Avaliação Nutricional, Convalescença, Desnutrição, Factores Socioeconómicos, Idoso, Quedas Acidentais, Úlceras de Pressão, Unidades de Hospitalares

Resumo

Introdução: A malnutrição é frequente no idoso e é um problema de saúde pública. O objectivo foi caracterizar a população idosa internada numa unidade de convalescença e relacionar o estado nutricional à admissão com o aumento de complicações.

Métodos: Todos os pacientes com mais de 65 anos admitidos numa unidade de convalescença num período de 18 meses foram analisados no que respeitava a estado nutricional, funcional e sócio-familiar, risco de queda e risco de desenvolvimento de úlceras de pressão.

Resultados: Cento oitenta um pacientes, 57,5% mulheres, idade 80,0±7,1 anos. O Mini Nutritional Assessment classificou 1/3 como desnutridos e 66,3% em risco de desnutrição. A grande maioria não tinha uma boa situação sociofamiliar. Cerca de 2/3 tinham alto risco de queda. Mais de 80% tinha risco baixo de desenvolver úlceras de pressão. Mais de metade teve alta para o domicílio. Correlações moderadas foram encontradas entre o estado nutricional e tanto o grau de dependência como o risco de desenvolver úlceras de pressão.

Discussão: Encontrámos uma alta incidência de malnutrição, dependência nas actividades de vida diária, problemas sociofamiliares e alto risco de queda. Encontrámos uma relação estatisticamente significativa entre o estado nutricional e o risco de desenvolver úlceras de pressão, constituindo um importante alerta que a avaliação e suporte nutricionais podem ter um papel crucial na qualidade de vida.

Conclusão: O que encontrámos é preocupante e suporta as recomendações para rotineiramente rastrear a malnutrição e proporcionar suporte nutricional em todos os níveis de cuidados de saúde. Tanto quanto sabemos, esta foi a primeira avaliação de malnutrição e problemas associados levada a cabo numa Unidade de Convalescença da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados em Portugal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Instituto Nacional de Estatística. Censos 2011 Resultados Definitivos - Portugal. Lisboa: INE; 2012.

Donini LM, Scardella P, Piombo L, Neri B, Asprino R, Proietti AR, et al. Malnutrition in elderly: Social and economic determinants. J Nutr Heal Aging. 2013;179-15. doi:10.1007/s12603-012-0374-8.

Westergren A, Hagell P, Sjodahl Hammarlund C. Malnutrition and risk of falling among elderly without home-help service: a cross sectional study. J Nutr Health Aging. 2014;18:905-11. doi:10.1007/s12603-014-0469-5.

Neyens J, Halfens R, Spreeuwenberg M, Meijers J, Luiking Y, Verlaan G, et al. Malnutrition is associated with an increased risk of falls and impaired activity in elderly patients in Dutch residential long-term care (LTC): A cross-sectional study. Arch Gerontol Geriatr. 2013;56:265-9. doi:10.1016/j.archger.2012.08.005.

Brito PA, Generoso S de V, Correia MI. Prevalence of pressure ulcers in hospitals in Brazil and association with nutritional status - A multicenter, cross-sectional study. Nutrition. 2013;29:646-9. doi:10.1016/j.nut.2012.11.008.

Marshall S, Bauer J, Isenring E. The consequences of malnutrition following discharge from rehabilitation to the community: A systematic review of current evidence in older adults. J Hum Nutr Diet. 2014;27:133-41. doi:10.1111/jhn.12167.

Wakabayashi H, Sashika H. Malnutrition is associated with poor rehabilitation outcome in elderly inpatients with hospital-associated deconditioning: a prospective cohort study. J Rehabil Med. 2014;46:277-82. doi:10.2340/16501977-1258.

Rasheed S, Woods RT. Malnutrition and Associated Clinical Outcomes in Hospitalized Patients Aged 60 and Older: An Observational Study in Rural Wales. J Nutr Gerontol Geriatr. 2013;32:71-80. doi:10.1080/21551197.2012.753772.

Cederholm T, Barazzoni R, Austin P, Ballmer P, Biolo G, Bischoff SC, et al. ESPEN guidelines on definitions and terminology of clinical nutrition. Clin Nutr. 2017;36:49-64. doi:10.1016/j.clnu.2016.09.004.

Vellas B, Guigoz Y, Garry PJ, Nourhashemi F, Bennahum D, Lauque S, et al. The mini nutritional assessment (MNA) and its use in grading the nutritional state of elderly patients. Nutrition. 1999;15:116-22. doi:10.1016/S0899-9007(98)00171-3.

Guigoz Y, Vellas B, Garry P. Mini Nutritional Assessment: a practical assessment tool for grading the nutritional state of elderly patients. Facts Res Gerontol. 1994;4(suppl 2):15-59.

Katz S, Ford A, Moskowitz R, Jackson B, Jaffe M. Studies of Illness in the Aged - The Index of ADL: A Standardized Measure of Biological and Psychosocial Function. JAMA. 1963;185:914. doi:10.1001/jama.1963.03060120024016.

Barkoukis H. Nutrition Recommendations in Elderly and Aging. Med Clin North Am. 2016;100:1237-50. doi:10.1016/j.mcna.2016.06.006.

Volkert D, Beck AM, Cederholm T, Cruz-Jentoft A, Goisser S, Hooper L, et al. ESPEN guideline on clinical nutrition and hydration in geriatrics. Clin Nutr. 2018. doi:10.1016/j.clnu.2018.05.024.

Streck DR, Eggert E, Sobottka E, Adams T, Moretti CZ. Research, participation and social transformation: Notes on the unfolding of a research practice. Int J Action Res. 2011;7:175-95. doi:10.1688/1861-9916_IJAR_2011_02_Streck.

Downloads

Publicado

30-09-2021

Como Citar

1.
Ardérius M. Estado Nutricional como Factor de Risco numa Coorte de Pacientes Geriátricos numa Unidade de Convalescença Especializada. RPMI [Internet]. 30 de Setembro de 2021 [citado 6 de Julho de 2022];27(3):207-12. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/116

Edição

Secção

Artigos Originais