Impacto de um Programa de Apoio à Prescrição de Antibióticos na Prescrição de Carbapenemos e Quinolonas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24950/O/244/20/2/2021

Palavras-chave:

Carbapenemos, Farmacorresistência Bacteriana, Gestão de Antimicrobianos, Quinolonas

Resumo

Introdução: O Programa de Apoio a  Prescrição de Antibióticos (PAPA) foi implementado no nosso hospital no segundo semestre de 2017. Um dos objectivos estabelecidos foi a redução do consumo de carbapenemos e quinolonas. Este estudo pretende avaliar a evolução do consumo destes fármacos durante os dois anos após a implementação do programa. Métodos: Foram analisadas as prescrições de carbapenemos e quinolonas nos doentes internados entre 1 de Julho de 2017 e 30 de Junho de 2019. O clínico responsável reviu cada prescrição, intervindo se necessário junto do médico prescritor. Os consumos foram calculados segundo a definição do Nordic Council (segundo a actualização de 2018) para as doses diárias definidas. Resultados: No primeiro ano foram identificadas 234 (35,0%) prescrições não-conformes. Foram dadas recomendações em 108 situações, com 83,3% aceites. Houve redução em 18,0% e 8,6% no consumo de quinolonas e carbapenemos, respectivamente, em relação ao ano prévio. No segundo ano foram identificadas 284 (34,5%) prescrições não-conformes. Foram dadas recomendações em 215 situações, com 94,0% aceites. Houve redução em 55,7% e 10,3% no consumo de quinolonas e carbapenemos, respectivamente. Discussão: Ao longo deste período verificou-se uma redução do consumo de quinolonas e carbapenemos e um aumento da adesão às recomendações do PAPA, reflectindo uma melhoria da educação na prescrição. Isto favorece uma utilização mais adequada de antibióticos, com menor propensão ao desenvolvimento de resistências. Conclusão: No nosso hospital, o PAPA tem levado a uma diminuição na utilização de carbapenemos e quinolonas, com boa aceitação das recomendações pelos médicos prescritores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Boucher HW, Talbot GH, Bradley JS, Edwards JE, Gilbert D, Rice LB, et al. Bad bugs, no drugs: No ESKAPE! An update from the Infectious Diseases Society of America. Clin Infect Dis. 2009;48:1–12.

ECDC Joint Technical Report. The bacterial challenge: time to react. Amsterdam: European Centre for Disease Control and Prevention;2009.

Cosgrove SE. The relationship between antimicrobial resistance and patient outcomes: Mortality, length of hospital stay, and health care costs. Clin Infect Dis. 2006;42(Suppl. 2):S82–9.

Centers for Disease Control and Prevention. Antibiotic resistance threats in the United States. U.S. Department of Health and Human Services, CDC. Bethesda: CDC; 2019.

Sohn Kim, Covington A, Pamer EG. The intestinal microbiota: Antibiotics, colonization resistance, and enteric pathogens. Immunol Rev. 2017;279:90–105.

Wright GD. The antibiotic resistome: The nexus of chemical and genetic diversity. Nat Rev Microbiol. 2007;5:175–86.

Barlam TF, Cosgrove SE, Abbo LM, Macdougall C, Schuetz AN, Septimus EJ, et al. Implementing an antibiotic stewardship program: Guidelines by the Infectious Diseases Society of America and the Society for Healthcare Epidemiology of America. Clin Infect Dis. 2016;62:1197–202.

Fishman N, Patterson J, L S, Srinivasan A, Trivedi KK, Schooneveld T van, et al. Policy Statement on Antimicrobial Stewardship by the Society for Healthcare Epidemiology of America (SHEA), the Infectious Diseases Society of America (IDSA), and the Pediatric Infectious Diseases Society (PIDS). Infect Control Hosp Epidemiol. 2012;33:322–7.

Kaki R, Elligsen M, Walker S, Simor A, Palmay L, Daneman N. Impact of antimicrobial stewardship in critical care: A systematic review. J Antimicrob Chemother. 2011;66:1223–30.

Plano Nacional para a Segurança dos Doentes (Despacho n.o 1400- A/2015). Diário da República. 2015; 2ª série (N.28):3882(2)-(10).

Direção-Geral da Saúde, Programa de Prevenção e Controlo das Infecções e Resistência aos Antimicrobianos. Plano Nacional de Combate à Resistência aos Antimicrobianos 2019-2023. Direção-Geral da Saúde. 2019.

Berg C, Blix HS, Litleskare I, Rønning M, Strøm H, Granum T. Guidelines for ATC classification and DDD assignment. Oslo: Norwegian Institute of Public Health; Methodology, WHO Collaborating Centre for Drug Statistics; 2017.

Wilcox MH. The tide of antimicrobial resistance and selection. Int J Antimicrob Agents. 2009;34:S6–10.

Fong K, McMullan R. Antimicrobial Therapeutics in Critical Care. Crit Care Horizons. 2015;1:11–21.

Schneider-Lindner V, Delaney JA, Dial S, Dascal A, Suissa S. Antimicrobial drugs and community-acquired methicillin-resistant Staphylococcus aureus, United Kingdom. Emerg Infect Dis. 2007;13:994–1000.

Couderc C, Thiébaut ACM, Lawrence C, Bouchiat C, Herrmann JL, Salomon J, et al. Fluoroquinolone impact on nasal methicillin-resistant and methicillin-sensitive Staphylococcus aureus colonization durations in neurologic long-term-care facilities. Antimicrob Agents Chemother. 2015;59:7621–8.

MacDougall C, Powell JP, Johnson CK, Edmond MB, Polk RE. Hospital and community fluoroquinolone use and resistance in Staphylococcus aureus and Escherichia coli in 17 US hospitals. Clin Infect Dis. 2005;41:435–40.

Lee JA, Kang CI, Joo EJ, Ha YE, Kang SJ, Park SY, et al. Epidemiology and clinical features of community-onset bacteremia caused by extended-

-spectrum β-lactamase-producing Klebsiella pneumoniae. Microb Drug Resist. 2011;17:267–73.

Khawcharoenporn T, Vasoo S, Singh K. Urinary Tract Infections due to Multidrug-Resistant Enterobacteriaceae: Prevalence and Risk Factors in a Chicago Emergency Department. Emerg Med Int. 2013;2013:1–7.

Walker E, Lyman A, Gupta K, Mahoney M V., Snyder GM, Hirsch EB. Clinical Management of an Increasing Threat: Outpatient Urinary Tract Infections Due to Multidrug-Resistant Uropathogens. Clin Infect Dis. 2016;63:960–5.

Oliphant CM, Green GM. Quinolones: A comprehensive review. Am Fam Physician. 2002;65:455–64.

Berg ML, Crank CW, Philbrick AH, Hayden MK. Efficacy of ertapenem for consolidation therapy of extended-spectrum β-lactamase-producing

gram-negative infections: A case series report. Ann Pharmacother. 2008;42:207–12.

Lartigue MF, Poirel L, Poyart C, Réglier-Poupet H, Nordmann P. Ertapenem resistance of Escherichia coli. Emerg Infect Dis. 2007;13:315–7.

Simões AS, Alves DA, Gregório J, Couto I, Dias S, Póvoa P, Viveiros M, Gonçalves L, Lapão LV. Fighting antibiotic resistance in Portuguese hospitals: Understanding antibiotic prescription behaviours to better design antibiotic stewardship programmes. J Glob Antimicrob Resist. 2018;13:226-30.

Downloads

Publicado

12-07-2021

Como Citar

1.
Oliveira Raimundo P, Trigo V, Luque J, Rei MJ, Sousa D, Antunes B, Rodrigues A, Nunes A. Impacto de um Programa de Apoio à Prescrição de Antibióticos na Prescrição de Carbapenemos e Quinolonas. RPMI [Internet]. 12 de Julho de 2021 [citado 27 de Fevereiro de 2024];28(2):125-32. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/54

Edição

Secção

Artigos Originais