Síndrome antifosfolípida primária – estudo retrospectivo de 29 doentes de uma Unidade de Doenças Auto-imunes

Autores

  • Cláudia Costa Serviço de Medicina Interna do Hospital de São João, Porto
  • Rui Castanheira Serviço de Medicina Interna do Hospital de São João, Porto
  • Fátima Coelho Serviço de Medicina Interna do Hospital de São João, Porto
  • Carlos Dias Serviço de Medicina Interna do Hospital de São João, Porto

Palavras-chave:

síndrome antifosfolípida, anticardiolipina, auto-anticorpos, anticoagolante lúpico

Resumo

Os autores apresentam um estudo retrospectivo de 29 doentes
com síndrome antifosfolípida primária, 22 do sexo feminino e
sete do sexo masculino. Idade média da série foi de 34,4 anos
(20-57 anos). A idade média na altura do diagnóstico foi de
30,7 (20-53 anos) anos. Os resultados analíticos mostraram
anticorpos anticardiolipina positivos em 27- doentes (93%),
anti-ß2-glicoproteína 1 em 25 (86%) e anticoagulante lúpico em
22 (76%). As principais manifestações foram o enfarte agudo de
miocárdio em dois doentes, tromboembolismo pulmonar noutros
dois, um doente apresentou trombose mesentérica, numa doente
verificou-se a existência de trombose do seio venoso, ocorreram
21 perdas fetais em 10 doentes (86% ocorreran durante o 2º
e 3º trimestres) e 13 doentes desenvolveram trombose venosa
profunda. Outras manifestações clínicas observadas foram a
trombocitopenia em seis doentes, livedo reticularis em quatro,
anemia em três, enxaqueca em três e um doente apresentou
um evento isquémico transitório. Em quatro doentes ocorreram
gravidezes com sucesso. Em três doentes foram documentadas
tromboses recorrentes (dois doentes com trombose venosa profunda e um com tromboembolismo pulmonar) apesar da terapêutica anticoagulante. As manifestações iniciais mais frequentes
da síndrome antifosfolípida foram a trombose venosa profunda
(44,8%) e o aborto (34,5%). Durante o follow-up de 29 meses
(3-29 meses, média de 14 meses) nenhum doente desenvolveu
lupus eritematoso sistémico (LES) ou outra doença auto-imune.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Hughes GRV. Thrombosis, abortion, cerebral disease, and the lúpus anticoagulant. Brit Med J 1983; 287: 1088-1089.

Harris EN, Baguley E, Asherson RA, Hughes GRV. Clinical and serological features of the “antiphospholipid syndrome” (APS). Br J Rheumatol 1987;26:19.

Wilson WA, Gharavi AE, Koike T, Lockshin MD, Branch DW, Piette JC, Brey R, Derksen R, Harris EN, Hughes GR, Triplett DA, Khamashta MA.

International consensus statement on preliminary classification criteria for definite antiphospholipid syndrome: report of an international workshop. Arthritis Rheum 1999;42:1309-1311.

Miyakis S, Lockshin MD, Atsumi T et al. International consensus statement on an update of the classification criteria for definitive antiphospholipid syndrome (APS). J Thromb Haemost 2006;4:295-306.

Piette JC, Wechsler B, Frances C, Papo T, Godeau P. Exclusion criteria for primary antiphospholipid syndrome (letter). J Rheumatol. 1993;20:1802-1804.

Tan EM, Cohen AS, Fries JF, Masi AT, McShane DJ, Rothfield PJ, Schaller JG, Talal N, Winchester RJ. The 1982 revised criteria for classification of systemic lupus erythematosus. Arthritis Rheum 1982; 25:1271-1277.

Hughes GRV, Khamashta MA. The antiphospholipid syndrome. J R Coll Physicians Lond 2000; 28:301-304.

Bertolaccini ML, Hughes GR. Antiphospholipid antibody testing: which are most useful for diagnosis? Rheum Dis Clin North Am 2006;32:455-463.

Lim W, Crowther MA, Eikelboom JW. Management of antiphospholipid antibody syndrome: a systematic review. Jama 2006;295:1050-1057.

Derksen RH, Khamashta MA, Branch DW. Management of obstetric anti-phospholipid syndrome. Arthritis Rheum 2004;50:1028-1039.

Khamashta MA, McKworth-Toung C. Antiphopholipid (Hughes’) syndrome: a treatable cause of recurrent pregnancy loss. Br Med L 1997;314:244.

Lockshin MD. Pregnancy loss in the antiphospholipid syndrome. Thromb Haemost 1999;82:641-648

Ficheiros Adicionais

Publicado

31-03-2009

Como Citar

1.
Costa C, Castanheira R, Coelho F, Dias C. Síndrome antifosfolípida primária – estudo retrospectivo de 29 doentes de uma Unidade de Doenças Auto-imunes. RPMI [Internet]. 31 de Março de 2009 [citado 27 de Fevereiro de 2024];16(1):3-7. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/1376

Edição

Secção

Artigos Originais