Estudo comparativo do acidente vascular cerebral no adulto jovem e no idoso

Autores

  • João Valente Assistente Hospitalar de Medicina Interna, Departamento de Medicina do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia
  • Alcino Branco Assistente Hospitalar Graduado de Medicina Interna, Departamento de Medicina do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia
  • Fátima Pais Interna Complementar de Medicina Interna, Departamento de Medicina do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia
  • Lídia Alves Interna Complementar de Medicina Interna, Departamento de Medicina do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia
  • Berta Botelho Assistente Hospitalar de Neurologia, Departamento de Medicina do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia
  • Manuel Nora Assistente Hospitalar de Neurologia, Departamento de Medicina do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia

Palavras-chave:

acidente vascular cerebra adul­to jovem, idoso, factores de risco vascular

Resumo

Objectivo: Estudo comparativo do acidente vas­cular cerebral (AVC) e factores de risco vascular (FRV) em doentes com idade inferior ou igual a 55 anos (adultos jovens) e com idade superior ou igual a 65 anos (idosos).

Material e métodos: Análise retrospectiva dos processos clínicos de doentes internados no Ser­viço de Medicina Interna de um hospital central da área metropolitana do Porto com o diagnósti­co de AVC, no período de Fevereiro de 1989 a De­zembro de 1993. Analisados os seguintes parâ­ metros: idade e sexo; tipo e perfil do AVC, FRV (AVC anterior, hipertensão arterial (HTA), dia­betes, dislipidemia, cardiopatia, tabaco, álcool); intercorrências infecciosas; défice na alta e mor­talidade; tensão arterial (TA), hemograma, glice­ mia e perfil lipídico na admissão.

População: 65 adultos jovens ( AJ) e 309  idosos (Id).

Resultados: O AVC no AJ representou 14% dos AVC internados e no Id 66,7%; o sexo masculino foi mais prevalente nos AJ (52,3%) e o feminino nos Id (58,3%). O tipo de AVC mais frequente foi o isquémico (AI) (82,8% nos AJ e 82,1% nos Id), sen­do o subtipo lacunar mais prevalente no AJ (P=0,04) e o aterotrombótico no /d (P=0,004),· o AIT representou 8,3% dos AI no AJ e 3,3% no Id Antecedentes de AVC em 20% dos AJ e em 32, 7% dos Id (P•0,04). A dislipidemia (43,1%), o álcool (24,6%) e o tabaco (12,3%) foram mais prevalen­ tes no AJ. Na cardiopatia, mais prevalente no Id (52,4% vs 36,9% - P=0,02), a doença valvular foi mais frequente no AJ (18,5%). As intercorrências infecciosas foram mais frequentes nos Id (58,3% vs 32,1% - P=0,001). À data da alta 56,8% dos AJ apresentavam défices ligeiros contra 28,3% dos Id (P=0,001). A taxa de mortalidade foi superior nos Id (30,4% VS 12,3% - P=0,003).

Conclusões: A prevalência de AVC nos AJ foi de 14% e nos Id de 66,7%. Contrariamente ao descri­to, verificamos um predomínio do AVC no sexo feminino na população idosa. O AI foi o tipo de AVC que  predominou em ambos os grupos, sendo

o lacunar mais frequente nos AJ e o aterotrombó­ tico nos Id. A HTA foi o FRV mais frequente em ambos os grupos. A doença cardíaca valvular foi mais frequente nos AJ e a fibrilação auricular nos Id. O AVC nos AJ apresenta menor morbilidade e mortalidade. Na admissão, o valor médio da TA diastólica, do colesterol tota  das LDL-colesterol e dos triglicerídeos foi significativamente mais elevado nos AJ.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

l. Aleixo Dias J. Mortalidade por acidentes vasculares cerebrais em Portugal. Evolução e perspectivas. Saúde em Números 1986; 1(2): 13-14

Bonita R Epidemiology of stroke. Lancet 1992; 339: 342-344

Kunz Ke JF. Epidemiology. ln Bennett HJM, Mohr JP, Stein BM, Yatsu FM (eds). Stroke. New York: Churchill Livingstone.1986: 3-18

MonteiroJ, Ferreira D, Fonseca TP et ai. O doente com acidente vascular cerebral agudo: avaliação de patologia associada. Acta Med Port 1990; 3: 353-358

Bogousslavsky J. Stroke in youngs adults. ln Bennett HJM, Mohr JP, Stein BM, Yatsu FM (eds). Stroke. New York: Churchill Li­vingstone. 1986: 895-901

Brass LM. Stroke in younger patients. ln Marc Fisher (ed). Cere­brovascular Disorders. London: Mosby-Year Book Europe, Ltd. 1994: 10.1 - 10.21

Abraham J, Shetty G, Jose CJ. Strokes in the young. Stroke 1971; 2: 258-262

Ranoux D, Devaux B, Mas J-L. Les accidents vasculaires cére­braux de l'adulte jeune. Rev Pract 1993; 229: 40-50

Hatanos S. Experience from a multicenter stroke register; a preli­minary report. Bull Who 1976; 54: 541-553

Nacional lnstitute of Neurological Disorders and Stroke. Classi­fication of cerebro-vascular diseases III. Stroke 1990; 4: 637-

Report of a Who expert committee, arterial hypertension 1978. Edição em português da Fundação Portuguesa de Cardiologia e do Centro de Estudos de Cardiologia Preventiva. 1982: 8-9

Bogousslavsky J, Van Melle G, Regli F. The Lausanne stroke re­gistry. Analysis of 1000 consecutive patients with first stroke. Stroke 1988; 19: 1083-1092

Bousser MG, Mas JL. Epidemiologie des accidents vasculaires cerebraux du sujet jeune. Press Med 1988; 17: 143-145

Chopra JS, Prabhakar S. Clinical features and risk factors in stroke in young. Acta Neurol Scand 1979; 60: 289-297

Leitão MJ, Costa CM. Factores de risco na doença vascular cere­bral. Estudo retrospectivo num Serviço de Medicina (1991- 1993). Geriatria 1995; 74: 13-24

Branco A, Valente J, Mota J. Acidentes vasculares cerebrais num Serviço de Medicina Interna - Estudo retrospectivo. Arq Med 1991; 2: 103-107

Oxfordshire Community Stroke Project. lncidence of stroke in oxfordshire: First year's experience of a community stroke register. Br MedJ 1983; 287: 13-17

Ferro JM. Acidentes vasculares cerebrais no jovem. ln Antunes JL, Ferro JM (eds). Acidentes Vasculares Cerebrais - Diagnós­tico e Tratamento. Lisboa: Laboratórios UCB. 1986: 85-93

Marquardsen J. Epidemiology of stroke in Europe. ln Bennett HJM, Mohr JP, Stein BM, Yatsu FM (eds). Stroke. New York: Churchill Livingstone. 1986: 31-43

Walker HE, Rubino M, Weinfeld FG. National survey of stroke - clinical findings. Stroke 1981; 12 (Suppl I): 13 -31

Ficheiros Adicionais

Publicado

31-12-1996

Como Citar

1.
Valente J, Branco A, Pais F, Alves L, Botelho B, Nora M. Estudo comparativo do acidente vascular cerebral no adulto jovem e no idoso. RPMI [Internet]. 31 de Dezembro de 1996 [citado 14 de Julho de 2024];3(4):216-20. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/2302

Edição

Secção

Artigos Originais

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)