lntoxicacão por organofosforados - Avaliação prognóstico em 143 doentes

Autores

  • João F. Sequeira Unidade de Urgência Médica. Hospital S. José
  • Paulo André Unidade de Urgência Médica. Hospital S. José
  • Helena Miranda Unidade de Urgência Médica. Hospital S. José
  • João Sá Unidade de Urgência Médica. Hospital S. José

Palavras-chave:

Intoxicação por Organofosfo­rados, Prognóstico, Índices de Gravidade, Coli­nesterase

Resumo

A intoxicação com pesticidas organofosforados é uma situação clínica grave frequentemente letal nos doentes admitidos em UCis. Os sistemas de índices de gravidade como o APACHE II, o SAPS I e o TISS, ainda que úteis neste contexto, não possu­em eficácia preditiva de um resultado fatal. Após revisão de 143 processos de doentes internados na U.U.M., e empregando metodologia estatística adequada, construiram-se dois índices de risco uti­lizando elementos clínico-laboratoriais e de inter­venção terapêutica: o primeiro - Índice1 - calcula­ do na admissã.o, e o segundo - Índice 2 - calculado ao longo do internamento. A estratificação de doentes no Índice 1 foi materializada em 3 grupos (Indícel <19- mortalidade: 4%; Índicel entre 19 e 33 - mortalldade: 30%; Índice1 >33 - mortalldade: 94%). O emprego do segundo índice - Índice2 - per­mitiu definir dois grupos de elevado valor prog­nóstico (Indice2 <14 - mortalidade: 4%; Índice2 >= 14 - mortalidade: 78%) A utilizaçã.o deste índice na determinação do prognóstico conseguiu uma sen­ sibilidade de 93%, e uma especiftcidade de 87%. Ambos os índices (1 e 2) se correlacionaram me­lhor com o resultado final do que os índices APA­ CHE II, SAPS I e TISS. O Índice2 reforçou o poder predictivo do Índice1, permitindo reclassificar os doentes cujo prognóstico final foi intermédio, de­ monstrando-se acertada a previsão em 89% do total de doentes anallsados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Taylor P. The Anticholinesterase Agents. ln: Goodman and Gilman's Pharmacologycal Basis of Therapeutics 8th Ed. 1992; 131-149

Pettinati L, Perreli G. I Pesticidi Patologia Rurale. Min Med 1979; 70:867-872

Knaus W et al. APACHE II: a Severity of Disease Classification System. Crit Care Med 1985; 13 (10): 818-829

LeGall J R. A Simplified Acute Physiology Score for ICU Patients. Crit Care Med 1984; 12 (11): 975-977

Keene A R et al. Therapeutic Intervention Scoring System: update 1983. Crit Care Med 1983; 11 (1): 1-3

Minton M A, Murray V S G. A Review of Organophosphate Poiso­ning. Med Toxicol 1988; 3 (5): 350-375

Da Costa R BC et al. Intoxicações Agudas por Compostos Orga­nofosforados. Acta Med Port 1988; 4/5/6: 291-295

Da Costa R B C et al. Intoxicações Agudas por Pesticidas Inibido­res da Colinesterase. Jornal do Médico 1979; 99 (1023): 21-24

Sousa R et al. Intoxicações Agudas por Pesticidas. Estudo Estatís­tico no ano 1980 O Médico 1982; 84: 109-111

Guerra M B. Intoxicação por Compostos Organofosforados Rev Port Med Mil 1982; 30(4): 195-208

Namba T et al. Poisoning due to Organophosphate Insecticides. Acute and Chronic Manifestations. Am J Med 1971; 50: 475-492

Da Costa R BC et ai. Diagnóstico e Tratamento das Intoxicações Agudas por Pesticidas Inibidores da Colinesterase. Jornal do Médico 1978; 97 0976): 354-357

Maner J B. Diagnostic Aids in Organophosphate Poisoning. Ann Int Med 1967; 67 (4): 905-906

Coye MJ et ai. Clinicai Confirmation of Organophosphate Poi­soning by Serial Cholinesterase Analyses. Arch lnt Med 1987; 147: 438-442

Brogdon W G. Laboratory and Field Microassay of Cholinestera­ses in Whole Blood, Plasma and Erythrocites. Bull W Health Org 1987; 65 (2): 227-232

Rapoport J et al. Timing of Intensive Care Unit Admission in Relation to ICU Admission. Crit Care Med 1990; 18: 1231-1235

Shafer J H et al. Outcome Prediction Models on Admission in a Medical Intensive Care Unit: Do They Predict Individual Out­ come?. Crit Care Med 1990; 18: 1111-1118

Wolfe R R. Carbohydrate Metabolism in the Critically Ill Patients. Crit Care Clin 1987; 3 (1): 11-24

Tsao T C et al. Respiratory Failure of Acute Organophosphate and Carbamate Poisoning. Chest 1990; 98: 631-636

Kass R et al. Adult Respiratory Distress Syndrome from Organo­phosphate Poisoning. Ann J Emerg Med 1991; 9 (1): 32-33

Du Toit P W. Experience with the Intensive Care Management of Organophosphate Insecticide Poisoning. S Afr Med J 1981; 60: 227-229

Ficheiros Adicionais

Publicado

31-03-1994

Como Citar

1.
Sequeira JF, André P, Miranda H, Sá J. lntoxicacão por organofosforados - Avaliação prognóstico em 143 doentes. RPMI [Internet]. 31 de Março de 1994 [citado 28 de Fevereiro de 2024];1(1):7-13. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/2428

Edição

Secção

Artigos Originais