Lobulite linfocítica esclerosante da mama associada a tiroidite auto-imune

Autores

  • Luísa Magalhães Serviço de Medicina, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto
  • Paulo Paiva Serviço de Medicina, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto
  • Álvaro Teixeira Serviço de Medicina, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto
  • Milheiro Costa Serviço de Medicina, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto
  • Macedo Dias Serviço de Medicina, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto
  • Elga Freire Serviço de Medicina, Hospital de Santo António, Centro Hospitalar do Porto

Palavras-chave:

lobulite linfocítica, mastopatia diabética, tiroidite auto-imune

Resumo

Introdução: A lobulite linfocítica esclerosante (LLE) da mama é
uma mastopatia benigna rara, habitualmente associada à diabetes
mellitus tipo 1 ou, mais raramente, a outras doenças auto-imunes.
Os autores descrevem um caso em que esta condição se associa a tiroidite auto-imune.
Caso clínico: Mulher de 32 anos, com enxaqueca crónica, sem
história pessoal de diabetes ou neoplasia da mama. Cefaleias
severas, palpitações, irritabilidade e hipertensão arterial levaram
ao diagnóstico de hipertiroidismo e bócio difuso por tiroidite auto-
-imune com anticorpos anti-tireoperoxidase e anti-tireogloblina
positivos. Apresentava tumefacção subareolar na mama direita,
com 3 cm de diâmetro, difusa, firme e ligeiramente dolorosa;
sem adenopatias. Várias citologias aspirativas foram negativas
para malignidade; biopsia incisional mostrou infiltrado periductal,
vascular e lobular de pequenos linfócitos fenotipicamente normais, associado a marcada fibrosclerose do estroma. A doente
foi tratada com tiamazol, suspenso depois por evolução para
hipotiroidismo. Tentativa de tratar a LLE com corticoterapia oral foi
mal sucedida. Cerca de 1,5 anos após o diagnóstico da tiroidite
auto-imune, a mastopatia permanece estável e pouco sintomática, sem tratamento específico.
Discussão: A etiologia da LLE da mama é desconhecida, mas
a forte associação com doenças auto-imunes e o aumento da
expressão de HLA-DR nas células epiteliais afectadas sugerem
que uma reacção imunológica a componentes do estroma mamário possa originar alterações fibro-inflamatórias. Até à data,
não está provado qualquer potencial neoplásico, embora os dados
sejam escassos. Desconhece-se se o tratamento da doença auto-imune subjacente influenciará a história natural desta patologia.
Na ausência de terapêutica dirigida, a conduta expectante parece ser a mais adequada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Soler NG, Khardori R. Fibrous disease of the breast, thyroiditis and cheiroarthropathy in type 1 diabetes mellitus. Lancet. 1984;1:193-195.

Ely KA, Tse G, Simpson JF, Clarfeld R, Page DL. Diabetic mastopathy – a clinicopathologic review. Am J Clin Pathol. 2000;113:514-545.

Schwartz IS, Strauchen JA. Lymphocytic mastopathy – an autoimmune disease of the breast? Am J Clin Pathol. 1990;93:725-730.

Lammie GA, Bobrow LG, Staunton MD et al. Sclerosing lymphocytic lobulitis of the breast – evidence for an autoimmune pathogenesis. Histopathology. 1991;19:13-20.

Dubenko M, Breining D, Surks M. Sclerosing lymphocytic lobulitis of the breast in a patient with Graves disease. Thyroid. 2003;13:309-311.

Han HHL, Lam TPW, Nicholls J, Leong LLY. Lymphocytic mastitis and rheumatoid arthritis. J HK Coll Radiol. 2002;5:233-234.

Kudva YC, Reynolds C, O’Brien T et al. “Diabetic mastopathy”, or Sclerosing lymphocytic lobulitis, is strongly associated with type 1 diabetes. Diabetes care. 2002;25:121-126.

Valdez R, Thorson J, Finn W et al. Lymphocytic mastitis and diabetic mastopathy: a molecular, immunophenotypic and clinicopathologic evaluation of 11 cases. Modern Pathology. 2003;16:223-227

Ficheiros Adicionais

Publicado

30-06-2011

Como Citar

1.
Magalhães L, Paiva P, Teixeira Álvaro, Costa M, Dias M, Freire E. Lobulite linfocítica esclerosante da mama associada a tiroidite auto-imune. RPMI [Internet]. 30 de Junho de 2011 [citado 3 de Outubro de 2023];18(2):94-6. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/1314

Edição

Secção

Casos Clínicos

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>