Coriocarcinoma não gestacional Origem extragonadal? Caso clínico

Autores

  • Ramiro Carvalho Serviço de Medicina II do Hospital Fernando Fonseca
  • Fernando R. Gomes Serviço de Medicina II do Hospital Fernando Fonseca
  • Lucília Gonçalves Serviço de Medicina II do Hospital Fernando Fonseca
  • Sofia Miranda Serviço de Medicina II do Hospital Fernando Fonseca
  • Fátima Branquinho Serviço de Medicina II do Hospital Fernando Fonseca
  • Luís Dutschmann Serviço de Medicina II do Hospital Fernando Fonseca

Palavras-chave:

coriocarcinoma, germinoma, extragonadal

Resumo

Os germinomas têm habitual localização gonadal, raramente ocorrendo de forma isolada em locais extragonadais da linha
média e cujo comportamento biológico é similar aos primeiros, apesar do prognóstico ser mais desfavorável.
O diagnóstico de coriocarcinoma não gestacional extragonadal é uma entidade rara, só podendo ser definido após a exclusão de patologia gonadal.
Os autores descrevem o caso de um homem de 31 anos, com manifestação adenopática abdominal e lesões ocupando espaço
no fígado. A biopsia cirúrgica revelou tratar-se de um coriocarcinoma puro e cujo inventário de extensão de doença revelou
ser TxN3M1bS2. A urgência da situação implicou tratamento imediato com esquema de quimioterapia BEP (bleomicina, etoposido e cisplatina), com resposta completa clínico-laboratorial.
Posteriormente, procedeu-se a orquidectomia radical à esquerda,
orientada por alterações ecográficas, cuja avaliação anátomo-patológica não identificou tecido neoplásico viável. O doente
encontra-se em remissão completa com um follow-up de 24 meses pós-terapêutica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Collins DH, Pugh RC. Classification and frequency of testicular tumors. Br J Urol 1964; 36 suppl: s1 – s11.

Scholz M, Zehender M, Thalmann GN et al. Extragonadal retroperitoneal germ cell tumor: evidence of origin in the testi. Ann Oncol 2002; 13: 121-124.

Azzopardi JG, Hoffbrand AV. Retrogression in testicular seminoma with viable metastases. J Clin Pathol 1965; 18:135-141.

Azzopardi JG, Mostofi FK, Theiss et al. Lesions of testis observed in certain patients with widespread choriocarcinoma and related tumors. Am J Pathol 1961; 38: 207-215.

Lynch JG, Blewett GL. Choriocarcinoma arising in the male mediastinum. Thorax 1953; 8: 157-161.

Allen E, Vespignani PM. Active testicular epithelium in the connective tissue surrounding a human suprarenal gland. Anat Rec 1938; 72: 293-296.

Stowell RE, et al. Primary intracraneal chorioepithelioma with metastases to the lungs. Am J Pathol 1945; 21: 787 – 801.

Bosl GJ, Ilson DH, Rodriguez E et al. Clinical relevance of the i(12p) marker chromossome in the germ cell tumors. J Natl Cancer Inst 1994; 86: 349.

Vuky J, Bains M, Bacik J et al. Role of postchemotherapy adjunctive surgery in the management of patients with nonseminoma arising from the mediastinum. J clin Oncol 2001; 19: 682-688.

Einhorn LH. Do all germ cell tumor patients with residual mass in multiple sites require postchemotherapy ressections? J Clin Oncol 1997; 15: 409-410.

Puc HS, Heelan R, Mazumdar M et al. Management of residual mass in advanced seminoma: results and recommendations from the MSKCC. J Clin Oncol 1996; 14: 454-460.

Setchell BP. The functional significance of the blood-testis barrier. J Androl 1980; 1: 3-11.

XXX. Imaging of burned-out testis tumor: five new cases and reviw of literature. J Ultrasound Med 2003; 22: 515-521.

Hartmann JT, Einhorn L, Nichols CR et al. Second-line chemotherapy in patients with relapsed extragonadal nonseminomatous germ cell tumors: results of an international multicenter analysis. J Clin Oncol 2001; 19: 1641-1648.

Rivoire M, Voiglio E, Kaemmerlen P et al. Salvage ressection of a chemorefractory mediastinal germ cell tumor. J Thorac Cardiovasc Surg 1996; 112: 1124-1126

Ficheiros Adicionais

Publicado

31-12-2008

Como Citar

1.
Carvalho R, R. Gomes F, Gonçalves L, Miranda S, Branquinho F, Dutschmann L. Coriocarcinoma não gestacional Origem extragonadal? Caso clínico. RPMI [Internet]. 31 de Dezembro de 2008 [citado 17 de Julho de 2024];15(4):263-7. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/1492

Edição

Secção

Casos Clínicos

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 > >>