Diversificar a População de Doentes dos Serviços de Medicina e Estimular Populações Homogéneas: Um Desafio Difícil

Autores

  • Luís Campos Presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna

DOI:

https://doi.org/10.24950/rspmi/PP/1/2018

Palavras-chave:

.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

OECD. Health at a Glance 2017: OECD Indicators. Paris: OECD Publishing; 2017. [consultado 2017 Dez 9]. Disponível em: http://www.oecd-ilibrary.org/ social-issues-migration-health/health-at-a-glance-2017_health_glance-2017-en

Vilas-Boas A, Guimarães LE, Vieira NB. Who are our patients? – Characterization of Internal Medicine Wards in Portugal. Poster. 15th European Congress of Internal Medicine. Amsterdam. 2016.

Gomes B, Calanzani N, Gysels M, Hall S, HigginsonI J. Heterogeneity and changes in preferences for dying at home: A systematic review. BMC Palliat Care. 2013; 12:7.

Ahmed A, Allman RM, Kiefe CI, Person SD, Shaneyfelt TM, Sims RV, et al. Association of consultation between generalists and cardiologists with quality and outcomes of heart failure care. Am Heart J. 2003;145:1086-93.

Downloads

Publicado

13-03-2018

Como Citar

1.
Campos L. Diversificar a População de Doentes dos Serviços de Medicina e Estimular Populações Homogéneas: Um Desafio Difícil. RPMI [Internet]. 13 de Março de 2018 [citado 2 de Julho de 2022];25(1):8-9. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/428

Edição

Secção

Página do Presidente

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)