Não Compactação Isolada do Ventrículo Esquerdo, Causa Rara de AVC

Autores

  • Cátia Barreiros Serviço de Medicina 1, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Hospital de Santa Luzia, Viana do Castelo, Viana do Castelo, Portugal https://orcid.org/0000-0002-8586-9404
  • Lúcia Meireles-Brandão Serviço de Medicina 1, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Hospital de Santa Luzia, Viana do Castelo, Viana do Castelo, Portugal
  • Duarte Silva Serviço de Medicina 1, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Hospital de Santa Luzia, Viana do Castelo, Viana do Castelo, Portugal
  • Carmélia Rodrigues Serviço de Medicina 1, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Hospital de Santa Luzia, Viana do Castelo, Viana do Castelo, Portugal
  • Diana Guerra Serviço de Medicina 1, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Hospital de Santa Luzia, Viana do Castelo, Viana do Castelo, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.24950/rspmi/CC/293/3/2018

Palavras-chave:

Acidente Vascular Cerebral, Disfunção Ventricular Esquerda, Miocárdio Ventricular não Compactado Isolado, Ventrículos do Coração

Resumo

A não compactação isolada do ventrículo esquerdo (NCIVE) é uma causa rara de miocardiopatia dilatada, verificando-se dilatação do ventrículo esquerdo, com exuberante padrão trabecular. Uma das manifestações são os fenómenos tromboembólicos, com prevalência entre 21% e 38%. Descrevemos o caso de uma mulher de 37 anos, cujo acidente vascular cerebral (AVC) isquémico foi a forma de apresentação da NCIVE. Realizou trombólise com reversão total dos défices. No estudo efectuado foi detectada NCIVE, além de foramen ovale patente, admitindo-se cardioembolismo como causa do AVC, com início de hipocoagulação oral. Realçamos a NCIVE como etiologia pouco comum de AVC e a importância do seu estudo etiológico no jovem, ao influenciar a decisão terapêutica e o prognóstico a longo prazo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Magno P, Freitas A, Gil V. NCIVE: revisão de literatura a propósito de um caso clínico. Rev Port Cardiologia. 2007; 26: 1381-91.

Conolly H, Attenhofer-Jost C. Isolated left ventricular noncompaction. Uptodate 2017 [consultado 2017 Dez]. Disponível em: http://www.uptodate.com

Jaramillo A, Ramirez A, Galleguillos L, Vallejos J, IllanesI S. Derrame isquémico como a primeira manifestação de hipertrabeculação/NCIVE grave. Arq Brasil Cardiol. 2010; 94:88-90.

Sousa O, Silva G, Sampaio F, Oliveira M, Gonçalves H, PrimoJ, et al. NCIVE: experiência de um centro. Rev Port Cardiol. 2013; 32: 229-38.

Gomes A, Nascimento E, Matos L, Martins I, Mos M, Correia J, et al. Acidente vascular cerebral no adulto jovem: estudo prospectivo de 58 doentes. Med Intern. 2008;15:161-8.

Basic Kes V, Zavoreo I, Demarin V. Etiology and diagnostic work-up in young stroke patients. Period Biol. 2012; 114: 355-9.

Arbustini E, Favalli V, Narula N, Serio A, Grasso M. Left Ventricular Noncompaction. A distinct genetic cardiomyopathy? J Am Coll Cardiol. 2016; 68: 949-66. doi: 10.1016/j.jacc.2016.05.096.

Left ventricular noncompaction cardiomyopathy: cardiac, neuromuscular, and genetic factors. Finsterer J, Stöllberger C, Towbin JA. Nat Rev Cardiol. 2017;14:224-37.doi: 10.1038/nrcardio.2016.207.

Downloads

Publicado

01-04-2022

Como Citar

1.
Barreiros C, Meireles-Brandão L, Silva D, Rodrigues C, Guerra D. Não Compactação Isolada do Ventrículo Esquerdo, Causa Rara de AVC. RPMI [Internet]. 1 de Abril de 2022 [citado 22 de Maio de 2024];25(3):208-10. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/480

Edição

Secção

Casos Clínicos

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)