Perfil e Casuística numa Consulta de Diabetologia

Autores

  • Lúcia Meireles Brandão Serviço de Medicina 1; Unidade Local de Saúde do Alto Minho; Hospital de Santa Luzia; Viana do Castelo; Portugal
  • António Ferreira Serviço de Medicina 1; Unidade Local de Saúde do Alto Minho; Hospital de Santa Luzia; Viana do Castelo; Portugal
  • Cátia Barreiros Serviço de Medicina 1; Unidade Local de Saúde do Alto Minho; Hospital de Santa Luzia; Viana do Castelo; Portugal
  • Duarte Silva Serviço de Medicina 1; Unidade Local de Saúde do Alto Minho; Hospital de Santa Luzia; Viana do Castelo; Portugal
  • Joana Rodrigues Serviço de Medicina 1; Unidade Local de Saúde do Alto Minho; Hospital de Santa Luzia; Viana do Castelo; Portugal
  • Carmélia Rodrigues Serviço de Medicina 1; Unidade Local de Saúde do Alto Minho; Hospital de Santa Luzia; Viana do Castelo; Portugal
  • Cristina Roque Serviço de Medicina 1; Unidade Local de Saúde do Alto Minho; Hospital de Santa Luzia; Viana do Castelo; Portugal
  • Diana Guerra Serviço de Medicina 1; Unidade Local de Saúde do Alto Minho; Hospital de Santa Luzia; Viana do Castelo; Portugal

DOI:

https://doi.org/10.24950/rspmi/original/253/2/2018

Palavras-chave:

Angiopatias Diabéticas, Complicações da Diabetes, Diabetes Mellitus, Doenças Cardiovasculares, Dislipidemias, Hipertensão

Resumo

Introdução: A diabetes mellitus (DM) constitui um dos maiores
desafios na saúde do século XXI. Os autores pretendem caracterizar um grupo de doentes com DM e realizar a análise
de fatores de risco vascular, perfil metabólico e estratégias
terapêuticas adotadas.
Material e Métodos: Estudo observacional retrospetivo, com
inclusão aleatória de 300 doentes com DM, seguidos em
consulta de Diabetologia durante três anos. Os dados foram
recolhidos na primeira e última consulta realizadas neste período, através do Sclínico®. A análise estatística foi efetuada
em Excel® e SPSS®.
Resultados: A idade mediana foi de 65 anos, 61,7% eram do
sexo masculino e 83,3% tinham o diagnóstico de DM tipo 2.
Os valores de mediana da hemoglobina A1C diminuíram de
8,2% para 7,2%, com o índice de massa corporal estável e
constatou-se a intensificação da terapêutica antidiabética.
Relativamente aos restantes fatores de risco vascular, 72,7%
dos doentes tinham hipertensão arterial, 62,7% dislipidemia,
42,7% obesidade, 38,7% eram sedentários e 9,3% fumadores. Verificou-se que 83% dos doentes apresentavam LDL>
70 mg/dL. A doença coronária foi a complicação macrovascular mais encontrada (14,0%), a complicação microvascular
mais frequente foi a nefropatia (30,7%) e, globalmente, a mediana do clearance creatinina foi de 84,3 mL/min. A mediana
do risco cardiovascular global foi elevada (27,7%), embora
77,0% dos doentes estivessem sob hipolipemiantes, 72,6%
sob anti-hipertensores, 41,3% sob antiagregação plaquetária
e 4,0% com hipocoagulação oral.
Conclusão: Constatamos uma evolução favorável do perfil
metabólico destes doentes, sendo relevante a intensificação
e ajuste das terapêuticas antidiabéticas instituídas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

International Diabetes Federation IDF Diabetes Atlas 2015. 7th ed. Brussels: IDF; 2015.

Observatório Nacional da Diabetes. Diabetes: Factos e Números - O Ano de 2014 - Relatório Anual do Observatório Nacional da Diabetes 11/2015. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Diabetologia; 2016.

Direção Geral da Saúde. Doenças Cérebro-Cardiovasculares em Números - 2015. Lisboa:DGS; 2016.

Satyajeet Roy. Atherosclerotic cardiovascular disease risk and evidence-based management of cholesterol. N Am J Med Sci. 2014; 6: 191- 8.

Goff DC Jr, Lloyd-Jones DM, Bennett G, Coady S, D’Agostino RB, Gibbons R, et al. 2013 ACC/AHA Guideline on the Assessment of Cardiovascular Risk. A Report of the American College of Cardiology/American Heart Association Task Force on Practice Guidelines. Circulation. 2014;129:S49-S73.

Gerstein HC, Mann JF, Yi Q, Zinman B, Dinneen SF, Hoogwerf B, et al. Albuminuria and risk of cardiovascular events, death, and heart failure in diabetic and nondiabetic individuals. JAMA. 2001;286:421-6.

Wannamethee SG, Shaper AG, Whincup PH, Lennon L, Sattar N. Impact of diabetes on cardiovascular disease risk and all-cause mortality in older men: influence of age at onset, diabetes duration, and established and novel risk factors. Arch Intern Med. 2011; 171: 404–10.

Holman RR, Sanjoy PK, Bethel MA, Matthews DR, Neil MA. UK Prospective Diabetes Study (UKPDS) Group; 10-Year Follow-up of intensive glucose control in Type 2 diabetes. N Engl J Med. 2008; 359: 1577– 89.

Orasanu G, Plutzky J. The pathologic continuum of diabetic vascular disease. J Am Coll Cardiol. 2009;53(5 Suppl):S35-42.

S. Zoungas, J. Chalmers, B. Neal, L. Billot, Q. Li, Y. Hirakawa, et al, for the ADVANCE-ON Collaborative Group. Follow-up of Blood-Pressure Lowering and Glucose Control in Type 2 Diabetes, N Engl J Med. 2014;371:1392-406.

de Vries FM, Denig P, Pouwels KB, Postma MJ, Hak E. Primary prevention of major cardiovascular and cerebrovascular events with statins in diabetic patients: a meta-analysis. Drugs. 2012;72:2365-73.

Querton L, Buysschaert M, Hermans MP. Hypertriglyceridemia and residual dyslipidemia in statin-treated, patients with diabetes at the highest risk for cardiovascular disease and achieving very-low low-density lipoprotein-cholesterol levels. J Clin Lipidol. 2012;6:434-42

Davide Capodanno and Dominick J. Angiolillo, Aspirin for Primary Cardiovascular Risk Prevention and Beyond in Diabetes Mellitus; Circulation. 2016;134:1579-94

Cardiovascular Disease and Risk Management, American Diabetes Association, Diabetes Care. 2016; 39(Suppl 1): S60-S71.

Downloads

Publicado

13-06-2018

Como Citar

1.
Meireles Brandão L, Ferreira A, Barreiros C, Silva D, Rodrigues J, Rodrigues C, Roque C, Guerra D. Perfil e Casuística numa Consulta de Diabetologia. RPMI [Internet]. 13 de Junho de 2018 [citado 11 de Agosto de 2022];25(2):100-6. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/449

Edição

Secção

Artigos Originais

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)