Linfangioleiomiomatose numa Mulher em Após Menopausa

Autores

  • Susana Barbosa Serviço de Medicina 1 e Serviço de Pneumologia, Hospital de Santa Luzia, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Viana do Castelo, Portugal
  • Paula Felgueiras Serviço de Medicina 1 e Serviço de Pneumologia, Hospital de Santa Luzia, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Viana do Castelo, Portugal
  • Agostinho Sanches Serviço de Anatomia Patológica, Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, Vila Nova de Gaia, Portugal
  • Rui Nêveda Serviço de Medicina 1 e Serviço de Pneumologia, Hospital de Santa Luzia, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Viana do Castelo, Portugal
  • Diana Guerra Serviço de Medicina 1 e Serviço de Pneumologia, Hospital de Santa Luzia, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Viana do Castelo, Portugal
  • Alfredo Pinto Serviço de Medicina 1 e Serviço de Pneumologia, Hospital de Santa Luzia, Unidade Local de Saúde do Alto Minho, Viana do Castelo, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.24950/rspmi.804

Palavras-chave:

Linfangioleiomiomatose, Menopausa, Pós-Menopausa, Terapêutica Hormonal de Substituição

Resumo

A linfangioleimiomatose é uma doença rara de etiologia desconhecida
que afeta principalmente mulheres jovens em idade fértil, sendo extremamente
rara após a menopausa e estando associada à terapêutica
hormonal de substituição. Os autores apresentam o caso de uma
mulher de 62 anos, referenciada à consulta por dispneia, tosse e pieira
com meses de evolução. Antecedentes de pneumotórax espontâneo
em 1994 e em menopausa desde os 52 anos, já tendo realizado terapêutica
hormonal de substituição. Ao exame objetivo, apresentava
insuficiência respiratória. Do estudo complementar realizado, apresentava
síndrome ventilatório obstrutivo moderado com diminuição
da capacidade de difusão do monóxido de carbono e tomografia
computorizada de tórax com múltiplas lesões quísticas nos dois terços
inferiores de ambos os campos pulmonares. Foi realizada biópsia
cirúrgica pulmonar, cuja histologia e imunocitoquímica foi compatível
com linfangioleiomiomatose. Os autores apresentam este caso clínico
dada a raridade da doença na mulher em menopausa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Johnson SR, Cordier JF, Lazor R, Cottin V, Costabel U, Harari S, et al. European respiratory society guidelines for the diagnosis and management of lymphangioleiomyomatosis. Eur Respir J. 2010; 35: 14-26.

Taveira-DaSilva AM, Steagall WK, Moss J. Lymphangioleiomyomatosis. Cancer Control. 2006; 13: 276-85.

Soler-Ferrer C, Gómez-Lozano A, Clemente-Andrés C, Cendra-Morera E, Custal-Teixidor M, Colomer-Pairés J. Lymphangioleiomyomatosis in a post-menopausal women. Arch Bronconeumol. 2010; 46: 148-50.

Johnson SR. Lymphangioleiomyomatosis. Eur Respir J. 2006; 27: 1056-65.

Valente C, André S, Catarino A, Fradinho F, Gamboa F, Loureiro M, et al. Linfangioleiomiomatose – A propósito de três casos clínicos. Rev Port Pneumol. 2010; 16: 187-96.

Costa AS, Noya R, Calvo TC, Severo R, Afonso A. Linfangioleiomiomatose:A propósito de um caso clínico. Rev Port Pneumol. 2005; 11: 573-86.

Barrera EA, Franch NM, Vera-Sempere F, Alarcón JP. Lymphangioleiomyomatosis. Arch Bronconeumol. 2011; 47: 85-93.

Khalife WI, Mahmoud F, Larson E, Hardie R. Pulmonary lymphangioleiomyomatosis in a postmenopausal woman: case report with review of

literature. S D J Med. 2005; 58: 139-43.

Johnson SR, Tattersfield AE. Decline in lung function in lymphangioleiomyomatosis. Am J Respir Crit Care Med. 1999; 160: 628-33.

Yano S. Exacerbation of pulmonary lymphangioleiomyomatosis by exogenous oestrogen used for infertility treatment. Thorax. 2002; 57: 1085-6.

Franco JC, Antón EO, Bartolomé AP, Pérez EV. Lingangileiomiomatosis en una paciente menopáusica en tratamiento estrogénico. Med Clin.

; 124: 319.

Baldi S, Papotti M, Valente ML, Rapellino M, Scappaticci E, Corrin B. Pulmonary lymphangioleiomyomatosis in postmenopausal women:

report of two cases and review of the literature. Eur Respir J. 1994; 7: 1013-6.

Johnson SR, Tattersfield AE. Clinical experience of lymphangioleiomyomatosis in the UK. Thorax. 2000; 55: 1052-7.

Juvet SC, Hwang D, Downey GP. Rare lung diseases I – Lymphangioleiomyomatosis. Can Respir J. 2006; 13: 375-80.

Taveira-DaSilva AM, Pacheco-Rodriguez G, Moss J. The natural history of lymphangioleiomyomatosis: markers of severity, rate of progression and prognosis. Lymphat Res Biol. 2010; 8: 9-19.

Ficheiros Adicionais

Publicado

30-06-2016

Como Citar

1.
Barbosa S, Felgueiras P, Sanches A, Nêveda R, Guerra D, Pinto A. Linfangioleiomiomatose numa Mulher em Após Menopausa. RPMI [Internet]. 30 de Junho de 2016 [citado 22 de Maio de 2024];23(2):94-6. Disponível em: https://revista.spmi.pt/index.php/rpmi/article/view/804

Edição

Secção

Casos Clínicos

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)